Doação de sangue aos jovens sobreviventes do incêndio da boate em Santa Maria -RS

Triste fato que aconteceu na madrugada de hoje 27/01 em Santa Maria-RS.

Oremos pelos 232 jovens de Santa Maria que desencarnaram em decorrência de um incêndio numa boate.
Que a espiritualidade amiga os ampare e os conduza às câmaras de recuperação, em bálsamos de tranquilidade e alívio tanto para esses jovens quanto para suas famílias.

Amigos, o jornal Diário de Santa Maria avisa que precisam de: Enfermeiros, auxiliares, psicólogos, psiquiatras. É bom confirmar as necessidades.
Contato: Bia, no telefone (55) 9155-2087.

309842_590549564294636_1682540465_n.jpg

MAIS NOTÍCIAS

GERAL 27/01/2013 15h33minCasal de namorados da Serra morre em tragédia em Santa MariaGERAL 27/01/2013 15h31minCatarinense que estava na boate que pegou fogo no RS está desaparecidaGERAL 27/01/2013 15h31minMinistra Maria do Rosário pede oração às vítimas da tragédiaGERAL 27/01/2013 15h23minCoronel do Corpo de Bombeiros diz que pirotecnia em locais fechados é proibida no BrasilGERAL 27/01/2013 15h22minMorador de Farroupilha está entre os desaparecidos em Santa MariaGERAL 27/01/2013 15h11minIncêndio na boate Kiss é o de maior número de mortos nos últimos 50 anos no Brasil

Perda de entes queridos

PERDA DE ENTES QUERIDOS

 

A dona de casa poderá perder uma agulha dentro do próprio lar e nunca mais encontrar.

O transeunte poderá perder um valor em dinheiro na via pública e nunca mais recuperar.

O milionário poderá perder sua fortuna e nunca mais lograr reavê-la.

Objetos e valores se perdem, almas não.

O ente querido que amamos, não o perdemos, com a morte. Ela pode tirá-lo temporiamente da nossa convivência física; nunca, porém, o perderemos.

Não se desespere com a morte de um ente querido, porque ele não deixou de existir, de sentir e de amar.

Respeite os designios de Deus e continue amando-o até o dia do reencontro.

Os laços de amor que nos unem uns aos outros, quando verdadeiros, são “inquebráveis”.

É possível perder-se o corpo, mas não se pode perder o sentimento nobre do amor, porque a morte é incapaz de matar os sentimentos.

(Do livro “Jesus no teu dia-a-dia”, capítulo 47, pelo Espírito José de Moraes, psicografia do médium Agnaldo Paviani, Editora Didier).

Pensamentos de Victor Hugo

O homem, perante a noite, abate-se, ajoelha-se, prosterna-se, atira-se ao chão, arrasta-se para um covil ou busca asas. Quase sempre quer evitar a presença do desconhecido.

O pensamento é mais que um direito; é o próprio alento do homem.

Onde está o pensamento, está a força. É tempo de os gênios passarem à frente dos heróis.

A popularidade é a glória em trocados.

Traz na alma uma pérola, a pureza, e as pérolas não se desfazem na lama.

Não há ervas daninhas nem homens maus: há, sim, maus cultivadores.

É preciso um pouco de inútil na felicidade. A felicidade é apenas o necessário.

Que é o mal? Deus adormecido na consciência humana.

O trabalho é a lei; quem o repelir, aborrecido, te-lo-á por suplício.

É estranha a facilidade com a qual os maus crêem no êxito das suas maldades.

Todo número é zero diante do infinito.

Existe explicação para as mortes coletivas

JORNAL EXTRA

COLUNA: EM NOME DE DEUS

PARA: DENISE / REGINA / ELIANE / FÁBIO / GIAMPAOLO / ANA PAULA / EDUARDO / VIVIANE / JOÃO PAULO

DE: GERSON SIMÕES MONTEIRO

DATA: 06/02/2011

EXISTE EXPLICAÇÃO PARA AS MORTES COLETIVAS?

Diante das tragédias que atingiram diversas cidades do país, particularmente as situadas em nosso Estado, nas quais centenas de pessoas sofreram perdas de seus entes queridos, como entender a Justiça de Deus nessas tragédias, se Ele ama a todos os Seus filhos indistintamente? Como entender as mortes coletivas ocorridas nas catástrofes, segundo o ensinamento de Jesus: a cada um será dado segundo as suas próprias obras?

Para entendermos essas questões, é preciso saber que, por força da Lei de Ação e Reação, cada um de nós sofre individualmente as conseqüências dos erros praticados nesta encarnação ou em vidas passadas, e simultaneamente, daqueles que praticamos participando de um grupo criminoso (por exemplo, um grupo de piratas). O mal praticado por tal grupo será reparado num resgate coletivo, como os ocorridos nos acidentes aéreos.

Para exemplificar as causas dos resgates coletivos, vamos nos reportar ao que ocorreu no dia 17 de dezembro de 1961, em Niterói, em comovedora tragédia num circo que pegou fogo. Os que morreram no circo foram os mesmos que, no ano de 177 de nossa era, queimaram cerca de mil crianças e mulheres cristãs numa arena de um circo na Gália.

A Justiça Divina, através da reencarnação, reaproximou os responsáveis pela queima dos cristãos no ano de 177 para a dolorosa expiação, conforme relatou o Espírito Humberto de Campos, pelo médium Chico Xavier, no livro Crônicas de Além Túmulo.

Ainda há outras explicações para as expiações coletivas: imaginemos guerreiros, como os nazistas, que massacraram judeus e outros povos, matando mulheres e crianças sob os escombros de suas próprias casas, fazendo milhares de vítimas. É lógico que os espíritos desses guerreiros, ao reencarnarem na Terra em novos corpos, atraídos pela força magnética gerada pelos crimes praticados coletivamente, são reunidos numa localidade, e sofrem na pele, por meio de uma catástrofe natural causada, por exemplo, através de um terremoto, como o ocorrido no Haiti. Concluindo: a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.

Gerson Simões Monteiro

Vice-Presidente da FUNTARSO

E-mail: gerson

QUANTO MAIS; – De Chico Xavier, Por Bezerra de Menezes.

QUANTO MAIS
Pelo Espírito Bezerra de Menezes. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Livro “Caridade”. Lição nº 11. Página 45.

Abençoai sempre as vossas dificuldades e não as lastimeis, considerando que Deus nos concede sempre o melhor e o melhor tendes obtido constantemente com a possibilidade de serdes mais úteis.
Quanto mais auxiliardes aos outros, mais amplo auxílio recebereis da Vida Mais Alta.
Quanto mais tolerardes os contratempos do mundo, mais amparados sereis nas emergências da vida, em que permaneceis buscando paz e progresso, elevação e luz.
Quanto mais liberdade concederdes aos vossos entes amados, permitindo que eles vivam a existência que escolheram, mais livres estareis para obedecer a Jesus, construindo a vossa própria felicidade.
Quanto mais compreenderdes os que vos partilham os caminhos humanos, mais respeitados vos encontrareis de vez que, quanto mais doardes do que sois em benefício alheio, mais ampla cobertura de amparo do Senhor assegurará a tranquilidade em vossos passos.
Continuemos buscando Jesus em todos os irmãos da Terra, mas especialmente naqueles que sofrem problemas e dificuldades maiores que os nossos obstáculos, socorrendo e servindo e sempre mais felizes nos encontraremos sob as bênçãos dele, nosso Mestre e Senhor.

Antônio Sávio de Resende – Tonhão
email: asavio e asavio.fcvv
tel: 31-3422-4583 e cel: 31-9934-0925

O Consolador – destaques da edição 295

Bom dia.

Comunico que está postada na internet a edição deste domingo da revista “O Consolador”, cujos principais destaques vão abaixo relacionados. Um ótimo final de semana e forte abraço. (Astolfo O. de Oliveira Filho)

O Consolador – destaques da edição 295

Veja na 1ª página o índice das matérias da edição desta semana. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/principal.html

Para o Brasil ser um país sério, muita coisa terá de mudar, propõe o nosso editorial. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/editorial.html

Nossa entrevistada na semana é Marileda Kluge Manica, de Ijuí-RS. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/entrevista.html

Marileda conta na entrevista como enfrentou e superou um câncer. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/entrevista.html

Uma frase de Voltaire é o tema do Especial de Orson Peter Carrara. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/especial.html

Veja como nasceu e cresceu o Coral Espírita Nosso Lar, de Londrina. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/principal.html

Fundado em 2008, o Coral Espírita Nosso Lar é hoje uma realidade. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/principal.html

Inicia-se nesta edição o estudo metódico d´O Evangelho segundo o Espiritismo. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/cartaaoleitor.html

Qual é, segundo Allan Kardec, o verdadeiro caráter do Espiritismo? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/empk.html

Como Fredrich Myers explica os casos de estigmatização? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/classicosdoespiritismo.html

Segundo a doutrina espírita, a doação de órgãos para transplante é correta? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/cartas.html

Por que o sermão profético não aparece em O Evangelho segundo o Espiritismo? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/oespiritismoresponde.html

Pode a mediunidade ajudar-nos a esclarecer um crime? Sim, isso é possível. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/davilson_silva.html

A chamada ortodoxia espírita será estabelecida pelos homens ou pelos Espíritos? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/empk.html

A Esperança e a Fé devem ser interpretadas como uma só virtude? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/arthur_oliveira.html

Como André Luiz procedeu para fazer-se visível ao obsessor de Cláudio? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/estudandoaserieandreluiz.html

Os Evangelhos dividem-se em cinco partes. Quais são elas? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/empk.html

O advento do Reino de Deus depende da união da razão humana com a razão divina. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/rogerio_coelho.html

Que atitude deve o grupo mediúnico tomar ao final da sessão realizada? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/estudandomanoelphilomeno.html

A Bíblia encontra-se recheada de demonstrações do fenômeno mediúnico. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/michele_ribeiro.html

A espiritualidade de Jesus pode ser sintetizada na práxis do amor. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/vinicius_lousada.html

Que fato pode levar à degeneração perispiritual de alguém desencarnado? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/estudandomanoelphilomeno.html

Os apóstolos do Cristo foram homens de luz, de conduta altruísta e nobre. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/oswaldo_coutinho.html

O receio que certos atores sentem pode ser suprimido pela sugestão? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/classicosdoespiritismo.html

Segundo Emmanuel, a Terra assemelha-se, hoje, a uma casa em reforma. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/vladimir_polizio.html

Um interessante caso de bicorporeidade protagonizado por Chico Xavier. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/umminutocomchico.html

Na seara da vida, há tarefas para todos que se dispuserem a servir de bom grado. http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/wellington_balbo.html

Pode uma pessoa hipnotizada cometer crimes sob a influência da sugestão? http://www.oconsolador.com.br/ano6/295/classicosdoespiritismo.html

*
Astolfo O. de Oliveira Filho
aoofilho
Londrina, PR

Visite, quando puder, o Blog Espiritismo Século XXI – http://espiritismo-seculoxxi.blogspot.com.br/

TENHO QUE PENSAR NISSO?

TENHO QUE PENSAR NISSO?

Muitas vezes ela chega sem avisar. Um infarto, um acidente fatal, sempre inesperado, ou através de uma enfermidade surpresa que, em poucos dias, transforma-se na angústia da família.

Sim, é preciso pensar no assunto. A morte é a única certeza da vida. Ela virá, mais cedo ou mais tarde, em circunstâncias desiguais ou parecidas, mas convidará a todos a um profundo exame de consciência. E quando ela chega, não há o que fazer. É enfrentar a realidade, considerada trágica e injusta.

Ponderemos, entretanto, que sendo algo comum a vida de todos os seres vivos no planeta, é de se concluir que se trata de algo natural. Sendo natural, não há o que temer.

Na verdade, devemos temer sim o auto-exame de consciência que sempre nos apontará os próprios equívocos, sempre acompanhados do arrependimento e do remorso, estes sim motivo de autêntica infelicidade interior. Para os que ficam, o mesmo exame de consciência no relacionamento com aquele que partiu, mostra a seriedade e a importância da fenômeno que, no fundo, é apenas um acontecimento biológico natural, independente da causa que o tornou realidade.

Devemos, pois, pensar no assunto, para nos prepararmos para tal enfrentamento. Para quem parte, ter informações de como será a vida nova que encontrará. As condições e o que será necessário levar ??!! Levar? Sim, pois que levamos conosco as conquistas intelectuais e morais. Aí já está um indicativo de como pensar no assunto. Para quem fica, pensar em como enfrentar e viver a realidade da separação de seres queridos.

O tema é antigo e os próprios estagiários da vida além túmulo é que trazem os depoimentos de como é a vida após a morte, suas condições, conseqüências advindas da vida no planeta e planejamentos para o futuro. E isso sem esquecer os laços de relacionamento com os seres amados que deixou na existência humana, sempre saudosos…

A literatura mediúnica, espírita ou não, é pródiga em informações. Muitas delas podem ser comprovadas, outras se transformaram em temática para filmes, peças teatrais e novelas e o fato final é que o assunto provoca muita curiosidade e também é alvo de pesquisas sérias no âmbito da ciência.

Mas o tema não é só científico, é religioso também. Todas as religiões admitem a sobrevivência e o Espiritismo desmembrou e estuda-o continuamente, inclusive com experiências práticas. Jesus, o Mestre da Humanidade, em seus ensinos, deixou claro que seu reino não era deste mundo, indicando que haveria outro. E retornou aos discípulos para mostrar que seus ensinos não foram em vão.

1
1

Na literatura espírita, especificamente, destaca-se o livro O Céu e o Inferno, onde seu autor, o Codificador do Espiritismo, Allan Kardec, reuniu depoimentos de diversos espíritos que se manifestaram relatando a situação em que se encontravam e muitas vezes mostrando a causa dessa situação. É uma boa dica para estudar e compreender o importante tema.

O mais contundente, porém, é raciocinarmos que não tem lógica viver para depois tudo se acabar. A boa lógica indica que tudo continua. Como? De que forma? Onde? Eis perguntas que os próprios habitantes do mundo espiritual hoje respondem pela mediunidade, relatando as próprias experiências em livros notáveis.

Conheça com profundidade e perca o medo da morte. A vida é muito mais que a morte!