IM) PACIÊNCIA

(Im)paciência

 

(“Qual é a minha força, para que eu espere? Ou qual é o meu fim, para que tenha ainda paciência? Jó 6:11”)

 

Se para alguns a paciência é uma virtude a ser conquistada, para outros é uma psicose, pois somente os outros têm que desenvolver.

 

A paciência é tão complexa que não se conquista de um dia para outro, mas através dos milênios.

 

Alguns são tão impacientes que devemos adestrar nossa paciência conosco mesmos, para aceitá-los.

 

A paciência é uma obra de arte que devemos embelezar com nossas conquistas no quesito paz.

 

Se Jesus suportou-nos à morte, com paciência, qual a razão de não nos suportarmos uns aos outros?

 

Alguns usam da paciência, outros abusam da impaciência. Dificilmente sabemos os limites entre os quais nos encontramos.

 

A paciência conosco mesmo anda junto com a resignação ante nossas fragilidades.

 

Antes de cobrarmos paciência dos outros, ainda que tenhamos razão, analisemos-lhes a dor.

 

A paciência é uma virtude de todos os seres, pelo que devemos envidar esforços para conquistá-la.

 

Se a paciência adocica as relações, a impaciência nos coloca nos braços da dor.

 

Ser paciente pressupõe abrir mão de pontos de vistas aderentes aos impacientes.

 

Antes de se dizer paciente, verifique se não derramastes lágrimas em teus caminhos.

 

Rejubilar por alcançar os parâmetros da paciência, cobra-nos ensinar, aos outros, o caminho.

 

Abrir mão de nós mesmos com nossas (im)perfeições pode, aplainar muito, o nosso caminho.

 

Antes de cobrar dos outros a paciência em certa questão, verifique como agiria, em seu íntimo, em seu coração.

 

Paciência é atitude, não palavra vazia, pelo que dizemos que não há como filosofar quando o assunto é paciência.

 

Sofrendo, tenhamos paciência, pois sem ela, poderia ser bem pior.

 

Com o companheiro, tenhamos paciência, pois a cada qual segundo as suas obras.

 

Na insegurança alheia, tenhamos paciência, pois a ninguém é dado conhecer a tudo, o tempo todo.

 

Nas lutas do dia a dia, tenhamos a paciência antes às pequenas vitórias e às grandes derrotas. De outra forma não daríamos conta.

 

Tenhamos Paciência para poder melhor amar.

 

Lembre-se de que o mal não merece comentário em tempo algum. (André Luiz, Nas conversações, Capítulo 9, Agenda Cristã, Psicografia de Chico Xavier.)

Anúncios

Um comentário sobre “IM) PACIÊNCIA

Obrigado pela visita! Deixe seu comentário aqui! Indique o Mensagens Espíritas a um amigo! Muita paz

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s