Advinhas

“Não precisas procurar adivinhos para saber o que te espera, nem necessitas daqueles outros que te descubram o passado que já conheces pelas próprias tendências. A vida é o presente vivo e imperecível. Na tela das horas, somos o ontem que se foi e seremos o amanhã que virá. A semente plantada resume todas as nossas cogitações em torno do porvir. Terás o que cultivas. Não colherás figos na macieira e vice-versa. Ciente de que todos os pensamentos e atos são sementeiras de destino, seleciona o material que consideres adequado à tua felicidade e centraliza-o no serviço do bem aos semelhantes. Do que deres presentemente, recolherás os resultados depois. O futuro começa agora. Cede hoje à vida o que possuas de melhor e, amanhã, aquilo que a vida tenha de melhor te responderá”.Emmanuel & Chico Xavier. Livro: Jóia. Lição: Em torno do futuro.

NO ROTEIRO DA FÉ

NO ROTEIRO DA FÉ

Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Livro: Palavras de Vida Eterna. Lição nº 15. Página 43.

“Se alguém quer vir após mim, negue a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me.” Jesus – Lucas 9:23

O Aviso do Senhor é insofismável.

“Siga-me” – diz o Mestre.

Entretanto, há muita gente a lamentar-se de fracassos e desilusões, em matéria de fé, nas escolas do Cristianismo, por não Lhe acatarem o conselho.

Buscam Jesus, fazendo a idolatria em derredor de seus intermediários humanos e, como toda criatura terrestre, os intermediários humanos do Evangelho não podem substituir o Cristo, junto à sede das almas.

Aqui, é o padre católico, caridoso e sincero, contudo, incapaz de oferecer a santidade perfeita.

Ali, é o pastor da Igreja Reformada, atento e nobre, mas inabilitado à demonstração de todas as virtudes.

Acolá, é o médium espírita, abnegado e diligente, todavia distante da própria sublimação.

Mais além, surgem doutrinadores e comentaristas, companheiros e parentes, afeiçoados ao estudo e excelentes amigos, mas ainda longe da integração com o Benfeitor Eterno.

E quase sempre aqueles que os acompanham, na suposição de buscarem o Cristo, ante os mínimos erros a que se arrojam, por força da invigilância ou inexperiência, retiram-se, apressados, do serviço espiritual, alegando desapontamento e amargura.

O Convite do Senhor, no entanto, não deixa margem à dúvida.

Não desconhecia Jesus que todos nós, os Espíritos encarnados ou desencarnados que suspiramos pela comunhão com Ele, somos portadores de cicatrizes e aflições, dívidas e defeitos, muitas vezes escabrosos.

Daí o recomendar-nos: – “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me”.

Se te dispõe, desse modo, a encontrar o Senhor para a edificação da tua felicidade, renuncia com desassombro às bagatelas da estrada, suporta corajosamente as conseqüências dos teus atos de ontem e de hoje e procura Jesus por Divino Modelo.

Não olvides que há muita diferença entre seguir o Cristo e seguir os cristãos.

Soldados do esforço próprio

SOLDADOS DO ESFORÇO PRÓPRIO

       – Quaisquer que sejam os problemas que passam agora à nossa frente, continuemos valorosos em nossa luta, abraçados aos serviços  que tanto nos dignifica o caminho de mulher.

Não nos importa a oficina. Nessa ou naquela, o essencial é que sejamos soldados do esforço próprio, oferecendo à vida e ao mundo a quota de nossa colaboração.

(De “Aceitação e Vida”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Margarida)

SAMARITANOS e NÓS

SAMARITANOS e NÓS

Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Livro: Aulas da Vida. Lição nº 15. Página 56.

Quem de nós não terá caído, alguma vez, em abandono ou penúria, aflição, amargura, engano ou perturbação?

À face disso, para nós o samaritano da bondade, a criatura que nos reergue ou reanima será sempre aquela pessoa:

– que nos acolhe nos dias de tristeza com a mesma generosidade com que nos abraça nos instantes de alegria;

– que nos estima, assim tais quais somos, sem reclamar-nos espetáculos de grandeza, de um dia para o outro;

– que nos levanta do chão das próprias quedas para o regaço da esperança, sem cogitar de nossas fraquezas;

– que nos alça do precipício da desilusão ao clima do otimismo, sem reprovar-nos a imprevidência;

– que nos ouve as queixas reiteradas, rearticulando sem aspereza o verbo da paciência e da compreensão;

– que nos estende essa ou aquela porção dos recursos que disponha, em favor da solução de nossos problemas, sem pedir o relatório de nossas necessidades e compromissos;

– que nos oferece esclarecimento, sem ferir-nos o brio;

– que nos ilumina a fé, sem destruir-nos a confiança;

– que se transforma em harmonia e concurso fraterno, seja em nossa casa, ou no grupo de serviço em que trabalhamos;

– que se nos converte no cotidiano em apoio e cooperação, sem exigir-nos tributos de reconhecimento;

– que, por fim, se transubstancia, em nosso benefício, em luz e consolação, amparo e benção.

Detenhamo-nos a pensar nisso e lembrando, reconhecidamente, quantos se nos fazem samaritanos do auxílio e da bondade, nas estradas da existência, recordemos a lição de Jesus e, diante dos outros, sejam eles quem sejam façamos nós o mesmo.

Firmes e serenos

FIRMES E SERENOS

              – Continuemos firmes em nossas convicções e serenos na fé! Não nos entristeçamos em face dos obstáculos da vida. Deus é o Pai Bondoso de todos nós e não nos faltará o indispensável.

             Enquanto estivermos em provas bem rudes, peçamos a Deus nos abençoe a todos, e conservemos o coração com a mesma fraternidade de todos os instantes.

             Deus fique conosco!

(De “ACEITAÇÃO E VIDA”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Margarida)

Trabalho

Capítulo 05 – TRABALHO

Quem não se envolve pessoalmente com alguma espécie de trabalho não progride.

A finalidade do trabalho que executamos é a de fazer-nos crescer interiormente, desenvolvendo as nossas potencialidades embrionárias.

Em quem trabalha por simples obrigação, em busca do pão de cada dia, o trabalho opera muito lentamente.

Quanto mais o espírito se conscientiza de sua necessidade de trabalhar, passando a servir aos semelhantes por livre iniciativa, mais ele avança na senda do aperfeiçoamento.

Quem já consegue dar de si mesmo aos outros encontra-se num estágio superior ao daquele que dá no que retém consigo, sem que, no entanto, nada lhe pertença.

O salário com que o trabalho enobrecedor nos remunera é muito maior do que o que recebemos em paga pelo suor que derramamos.

É no serviço do bem que o espírito se fortalece e aprende a conhecer-se com mais segurança, aceitando-se tal e qual é, em transição para o que deve vir a ser.

Feliz de quem serve pela alegria de servir.

Toda tarefa em benefício dos semelhantes, por pequenina que seja, é de grande significado espiritual para quem a executa.

Nunca nos sintamos limitados para cooperar nas boas obras.

Com o discernimento presidindo todas as nossas ações, estejamos certos de que no trabalho do bem não existe excesso e nem cansaço.

Irmão José/Carlos A. Baccelli  – Do livro LIÇÕES DA VIDA, Ed. Didier

O impossível

“Acalma-te e serve, não fizeste o sol que te ilumina, não fabricaste o ar que respiras, não criaste o solo em que te apóias, não teceste a vestimenta das flores que te rodeiam, não pares de trabalhar, a vida te pede o bem que se te faça possível: o impossível virá de Deus”. Emmanuel & Chico Xavier. Lição: Possível e Impossível. Livro: Recados do Além.

Educação

EDUCAÇÃO

“Responder antes de ouvir é estultícia

E vergonha”.  Pv. 18. V. 13

       A Educação é o primor da Alma. Quem a tem, busca mais, por encontrar felicidade na gentileza e respeito aos outros. O educado ouve, para depois responder; mesmo assim em tom agradável, e com maneiras favoráveis ao bom senso.

*

       A educação é uma luz divina que desponta no horizonte da mente.

       A educação é uma fragrância que desprende da Alma que respira no ambiente do amor.

*

       Quando alguém te fala, ouve com interesse, pois de tudo podes tirar proveito, para o aprendizado da vida; se o assunto te contraria, não contradigas de estalo, pensa um pouco e, por simples gesto, podes desviar a conversa. Se o falador é insistente e sofre de algo que exige o falatório, espera mais um pouco, que a caridade se faz também pelos ouvidos.

       Quem somente gosta de falar sem ouvir aos outros, acaba ficando sozinho.

       A palavra é uma força grandiosa, mas quando nela a educação está presente.

       Quem desconhece a disciplina, por certo nunca sentiu a verdadeira alegria.

       Se alguém se julga mestre, e lhe falta a educação de ouvir os discípulos, ele ainda não aprendeu o que lhe convinha aprender.

*

       Parece exagero das boas maneiras, mas, em verdade, quem corta o assunto que está ouvindo, para falar o que lhe veio na mente, envergonha quem ouve e esfria o ambiente da prosa.

*

       Educação, no dicionário da vida, é sinônimo de esforço, é trabalho no mundo íntimo, que Deus abençoa de hora em hora, que Jesus ajuda constantemente, que os Espíritos elevados não param de nos inspirar.

*

       Quando conversares com o amigo, estimula nele as boas ideias que te fluírem, e faze-te esquecido dos pensamentos desfavoráveis à tônica evangélica. Essa ajuda, quando continuada, propicia ótimos resultados.

*

       Os teus ouvidos poderão ser canais de sublimação, dependendo do uso que fizeres deles. Assim também as tuas mãos e os outros órgãos.

       Cumpre a cada criatura desenvolver seus dons, para que Deus possa multiplicá-los na sequência do tempo, e na área do espaço.

*

       Quem deseja educar, deseja ouvir; e quem serve sem exigências, começa a viver, conscientemente no amor.

(De “Tuas Mãos”, de João Nunes Maia, pelo Espírito Carlos)

“Abençoa…

Atravessas rudes provas… Acalma-te e abençoa…

Alguma ofensa à vista? Esquece e abençoa…

Amigos desertaram… Segue à frente e abençoa…

Sofres dificuldades? Age, serve e abençoa…

Alguém te menospreza… Silencia e abençoa…

Por nada te revoltes… Deus te guarda e abençoa…”

Emmanuel & Chico Xavier. Livro: Assim Vencerás.