Tempo da Regra Áurea

images?q=tbn:ANd9GcS2uM2S7GGQjUanqLjG-dzb3J8kHnn0FWQBDCJAysCTctXCRfghsA

Tempo da Regra Áurea

“Assim, tudo o que vos quereis
que os homens vos façam, fazei-o
também vos a eles; esta é a lei
e os profetas.”
(S.Matheus cap.7 v.12)
Faremos hoje o bem a que aspiramos receber.
*

Alimentaremos para com os semelhantes os sentimentos que esperamos alimentem eles para conosco.
*

Pensaremos acerca do próximo somente aquilo que estimamos pense o próximo quanto a nós.
*

Falaremos as palavras que gostaríamos de ouvir.
*

Retificaremos em nós tudo o que nos desagrade nos outros.
*

Respeitaremos a tarefa do companheiro como aguardamos respeito para a responsabilidade que nos pesa nos ombros.
*

Consideraremos o tempo, o trabalho, a opinião e a família do vizinho tão preciosos quanto os nossos.
*

Auxiliaremos sem perguntar, lembrando como ficamos felizes ao sermos auxiliados sem que dirijam perguntas.
*

Ampararemos as vítimas do mal com a bondade que contamos receber em nossas quedas, sem estimular o mal e sem esquecer a fidelidade a prática do bem.
*

Trabalharemos e serviremos de moldes que reclamamos do esforço alheio.
*

Desculparemos incondicionalmente as ofensas que nos sejam endereçadas no mesmo padrão de confiança dentro do qual aguardamos as desculpas daqueles a quem porventura tenhamos ofendido.
*

Conservaremos o nosso dever em linha reta e nobre, tanto quanto desejamos retidão e limpeza nas obrigações daqueles que nos cercam.
*

Usaremos paciência e sinceridade para com os nossos irmãos, na medida com que esperamos de todos eles paciência e sinceridade, junto de nós.
*

Faremos, enfim, aos outros o que desejamos que os outros nos façam.
*

Para que o amor não enlouqueça em paixão e para que a justiça não se desmande em despotismo, agiremos persuadidos de que o tempo da regra áurea, em todas as situações, agora ou no futuro, será sempre hoje.

* * *
Da obra: Opinião Espírita.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.
CEC.

Amor

Amar significa…

«Amar significa amar o que é difícil de ser amado,

de contrário não seria virtude alguma;

perdoar significa perdoar o imperdoável,

de contrário não seria virtude alguma;

fé significa crer no inacreditável,

de contrário não seria virtude alguma.

E esperar significa esperar quando já não há esperança,

de contrário não seria virtude alguma.»

Gilbert Keith Chesterton

pelo amor

Pelo Amor
Não te esqueças da riqueza encerrada em
teu auxílio no próprio corpo.
Reflete no tesouro da fala e ajuda ao próximo
com as boas palavras.
Recorda o patrimônio das mãos e planta
uma árvore amiga ou socorre a esse ou aquele
doente, enquanto as horas voam, em derredor
de tua permanência na Terra.
Não menosprezes a fortuna dos ouvidos e
guarda o ensinamento útil ou dignificante,
esquecendo quanto seja ruinoso ou sem proveito
no caminho diário.
Não olvides a preciosidade dos olhos e enriquece-te
de luz, fixando os quadros do bem.
Medita nos dons da inteligência e aprende a
raciocinar exclusivamente no melhor a fazer
na obra da elevação.
Não é preciso bolsa recheada para atender
à verdadeira fraternidade.
O amor não depende de ouro para servir.
Sem qualquer recurso monetário,
Jesus transformou a Terra, trazendo-nos
ensinamentos inolvidáveis cuja grandeza
cresce para nós todos no transcurso dos séculos.
Pelo amor nascemos, pelo amor nós desenvolvemos,
pelo amor lutamos e por ele nos renovamos,
através da morte, para renascer de novo,
até a perfeição final.
Essa é a Lei.
Veja o vídeo -Sonhos com comportamentos absurdos

Calma para o Êxito – Joanna de Angelis / Divaldo Franco

Calma para o Êxito

Em todos os passos da vida, a calma é convidada a estar presente. Aqui, é uma pessoa tresvairada, que te agride…
Ali, é uma circunstância infeliz, que gera dificuldade…
Acolá, é uma ameaça de insucesso na atividade programada…
Adiante, é uma incompreensão urdindo males contra os teus esforços…
É necessário ter calma sempre.
A calma é filha dileta da confiança em Deus e na Sua justiça, a expressar-se numa conduta reta que responde por uma atitude mental harmonizada.
Quando não se age com incorreção, não há por que temer-se acontecimento infeliz.
A irritação, alma gêmea da instabilidade emocional, é responsável por danos, ainda não avaliados, na conduta moral e emocional da criatura.
A calma inspira a melhor maneira de agir, e sabe aguardar o momento próprio para atuar, propiciando os meios para a ação correta.
Não antecipa, nem retarda.
Soluciona os desafios, beneficiando aqueles que se desequilibram e sofrem.
Preserva-te em calma, aconteça o que acontecer.
Aprendendo a agir com amor e misericórdia em favor do outro, o teu próximo, ou da circunstância aziaga, possuirás a calma inspiradora da paz e do êxito.
* * *http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Mass74ZgGS4Mensagens Para Orkut - MensagensMagicas.com

Divaldo P. Franco.
Ditado pelo Espírito Joanna de Angelis.
Alvorada.

Nostalgia e Depressão

Nostalgia e Depressão

As síndromes de infelicidade cultivada tornam-se estados patológicos mais profundos de nostalgia, que induzem à depressão. O ser humano tem necessidade de auto-expressão, e isso somente é possível quando se sente livre.
Vitimado pela insegurança e pelo arrependimento, torna-se joguete da nostalgia e da depressão, perdendo a liberdade de movimentos, de ação e de aspiração, face ao estado sombrio em que se homizia.
A nostalgia reflete evocações inconscientes, que parecem haver sido ricas de momentos felizes, que não mais se experimentam. Pode proceder de existências transatas do Espírito, que ora as recapitula nos recônditos profundos do ser. lamentando, sem dar-se conta, não mais as fruir; ou de ocorrências da atual.
Toda perda de bens e de dádivas de prazer, de júbilos, que já não retornam, produzem estados nostálgicos. Não obstante, essa apresentação inicial é saudável, porque expressa equilíbrio, oscilar das emoções dentro de parâmetros perfeitamente naturais. Quando porém, se incorpora ao dia-a-dia, gerando tristeza e pessimismo, torna-se distúrbio que se agrava na razão direta em que reincide no comportamento emocional.
A depressão é sempre uma forma patológica do estado nostálgico.
Esse deperecimento emocional, fez-se também corporal, já que se entrelaçam os fenômenos físicos e psicológicos.
A depressão é acompanhada, quase sempre, da perda da fé em si mesmo, nas demais pessoas e em Deus… Os postulados religiosos não conseguem permanecer gerando equilíbrio, porque se esfacelam ante as reações aflitivas do organismo físico. Não se acreditar capaz de reagir ao estado crepuscular, caracteriza a gravidade do transtorno emocional.
Tenha-se em mente um instrumento qualquer. Quando harmonizado, com as peças ajustadas, produz, sendo utilizado com precisão na função que lhe diz respeito. Quando apresenta qualquer irregularidade mecânica, perde a qualidade operacional. Se a deficiência é grave, apresentando-se em alguma peça relevante, para nada mais serve.
Do mesmo modo, a depressão tem a sua repercussão orgânica ou vice-versa. Um equipamento desorganizado não pode produzir como seria de desejar. Assim, o corpo em desajuste leva a estados emocionais irregulares, tanto quanto esses produzem sensações e enarmonias perturbadoras na conduta psicológica.
No seu início, a depressão se apresenta como desinteresse pelas coisas e pessoas que antes tinham sentido existencial, atividades que estimulavam à luta, realizações que eram motivadoras para o sentido da vida.
À medida que se agrava, a alienação faz que o paciente se encontre em um lugar onde não está a sua realidade. Poderá deter-se em qualquer situação sem que participe da ocorrência, olhar distante e a mente sem ação, fixada na própria compaixão, na descrença da recuperação da saúde. Normalmente, porém, a grande maioria de depressivos pode conservar a rotina da vida, embora sob expressivo esforço, acreditando-se incapaz de resistir à situação vexatória, desagradável, por muito tempo.
Num estado saudável, o indivíduo sente-se bem, experimentando também dor, tristeza, nostalgia, ansiedade, já que esse oscilar da normalidade é característica dela mesma. Todavia, quando tais ocorrências produzem infelicidade, apresentando-se como verdadeiras desgraças, eis que a depressão se está fixando, tomando corpo lentamente, em forma de reação ao mundo e a todos os seus elementos.
A doença emocional, desse modo, apresenta-se em ambos os níveis da personalidade humana: corpo e mente.
O som provém do instrumento. O que ao segundo afeta, reflete-se no primeiro, na sua qualidade de exteriorização.
Idéias demoradamente recalcadas, que se negam a externar-se – tristezas, incertezas, medos, ciúmes, ansiedades – contribuem para estados nostálgicos e depressões, que somente podem ser resolvidos, à medida que sejam liberados, deixando a área psicológica em que se refugiam e libertando-a da carga emocional perturbadora.
Toda castração, toda repressão produz efeitos devastadores no comportamento emocional, dando campo à instalação de desordens da personalidade, dentre as quais se destaca a depressão.
É imprescindível, portanto, que o paciente entre em contato com o seu conflito, que o libere, desse modo superando o estado depressivo.
Noutras vezes, a perda dos sentimentos, a fuga para uma aparência indiferente diante das desgraças próprias ou alheias, um falso estoicismo contribuem para que o fechar-se em si mesmo, se transforme em um permanente estado de depressão, por negar-se a amar, embora reclamando da falta de amor dos outros.
Diante de alguém que realmente se interesse pelo seu problema, o paciente pode experimentar uma explosão de lágrimas, todavia, se não estiver interessado profundamente em desembaraçar-se da couraça retentiva, fechando-se outra vez para prosseguir na atitude estóica em que se apraz, negando o mundo e as ocorrências desagradáveis, permanecerá ilhado no transtorno depressivo.
Nem sempre a depressão se expressará de forma autodestrutiva, mas com estado de coração pesado ou preso, disfarçando o esforço que se faz para a rotina cotidiana, ante as correntes que prostram no leito e ali retêm.
Para que se logre prosseguir, é comum ao paciente a adoção de uma atitude de rigidez, de determinação e desinteresse pela sua vida interna, afivelando uma máscara ao rosto, que se apresenta patibular, e podem ser percebidas no corpo essas decisões em forma de rigidez, falta de movimentos harmônicos…
Ainda podemos relacionar como psicogênese de alguns estados depressivos com impulsos suicidas, a conclusão a que o indivíduo chega, considerando-se um fracasso na sua condição, masculina ou feminina, determinando-se por não continuar a existência. A situação se torna mais grave, quando se acerca de uma idade especial, 35 ou 40 anos, um pouco mais, um pouco menos, e lhe parece que não conseguiu o que anelava, não se havendo realizado em tal ou qual área, embora noutras se encontre muito bem. Essa reflexão autopunitiva dá gênese a estado depressivo com indução ao suicídio.
Esse sentimento de fracasso, de impossibilidade de êxito pode, também, originar-se em alguma agressão ou rejeição na infância, por parte do pai ou da mãe, criando uma negação pelo corpo ou por si mesmo, e, quando de causa sexual, perturbando completamente o amadurecimento e a expressão da libido.
Nesse capítulo, anotamos a forte incidência de fenômenos obsessivos, que podem desencadear o processo depressivo, abrindo espaço para o suicídio, ou se fixando, a partir do transtorno psicótico, direcionando o paciente para a etapa trágica da autodestruição.
Seja, porém, qual for a gênese desses distúrbios, é de relevante importância para o enfermo considerar que não é doente, mas que se encontra em fase de doença, trabalhando-se sem autocomiseração, nem autopunição para reencontrar os objetivos da existência. Sem o esforço pessoal, mui dificilmente será encontrada uma fórmula ideal para o reequilíbrio, mesmo que sob a terapia de neurolépticos.
O encontro com a consciência, através de avaliação das possibilidades que se desenham para o ser, no seu processo evolutivo, tem valor primacial, porque liberta-o da fixação da idéia depressiva, da autocompaixão, facultando campo para a renovação mental e a ação construtora.
Sem dúvida, uma bem orientada disciplina de movimentos corporais, revitalizando os anéis e proporcionando estímulos físicos, contribui de forma valiosa para a libertação dos miasmas que intoxicam os centros de força.
Naturalmente, quando o processo se instala – nostalgia que conduz à depressão – a terapia bioenergética (Reich, como também a espírita), a logoterapia (Viktor Frankl), ou conforme se apresentem as síndromes, o concurso do psicoterapeuta especializado, bem como de um grupo de ajuda, se fazem indispensáveis.
A eleição do recurso terapêutico deve ser feita pelo paciente, se dispuser da necessária lucidez para tanto, ou a dos familiares, com melhor juízo, a fim de evitar danos compreensíveis, os quais, ocorrendo, geram mais complexidades e dificuldades de recuperação.
Seja, no entanto, qual for a problemática nessa área, a criação de uma psicosfera saudável em torno do paciente, a mudança de fatores psicossociais no lar e mesmo no ambiente de trabalho constituem valiosos recursos para a reconquista da saúde mental e emocional.
O homem é a medida dos seus esforços e lutas interiores para o autocrescimento, para a aquisição das paisagens emocionais.
* * *

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Amor Imbatível Amor.
Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis.

Nostalgia e Depressão

Nostalgia e Depressão

As síndromes de infelicidade cultivada tornam-se estados patológicos mais profundos de nostalgia, que induzem à depressão. O ser humano tem necessidade de auto-expressão, e isso somente é possível quando se sente livre.
Vitimado pela insegurança e pelo arrependimento, torna-se joguete da nostalgia e da depressão, perdendo a liberdade de movimentos, de ação e de aspiração, face ao estado sombrio em que se homizia.
A nostalgia reflete evocações inconscientes, que parecem haver sido ricas de momentos felizes, que não mais se experimentam. Pode proceder de existências transatas do Espírito, que ora as recapitula nos recônditos profundos do ser. lamentando, sem dar-se conta, não mais as fruir; ou de ocorrências da atual.
Toda perda de bens e de dádivas de prazer, de júbilos, que já não retornam, produzem estados nostálgicos. Não obstante, essa apresentação inicial é saudável, porque expressa equilíbrio, oscilar das emoções dentro de parâmetros perfeitamente naturais. Quando porém, se incorpora ao dia-a-dia, gerando tristeza e pessimismo, torna-se distúrbio que se agrava na razão d

Andre Luiz


* “Melhore sempre suas condições pessoais, pelo trabalho e pelo estudo, A fim de que você melhore a vida, em derredor de você. Obrigação cumprida será sempre o nosso mais valioso seguro de proteção. Amplie quanto puder a sua exportação de gentileza. Fazer “algo mais além do próprio dever”, em benefício dos outros, É criar um gerador de simpatia, em nosso auxílio. Esqueçamos o que não serve para o bem, a fim de que se realize o melhor. Reclamar é ferir-se. Se você deseja vencer, *aprenda a sorrir,* além do cansaço. O grupo familiar recorda a terra que produz para nós, segundo a nossa própria plantação. Guarde as suas impressões infelizes para não prejudicar o caminho dos outros. Esperança vitoriosa é aquela que não deixa de trabalhar.” ***André Luiz***

SOMBRAS E LUAR

SOMBRAS E LUAR

Dramas rudes…
Há momentos em que o coração na câmara torácica parece ter um punhal a trespassá-lo.
Mente atordoada…
Há problemas que assomam em patética de receios e inquietações produzindo febre n’alma e angústias de incertezas…
Dificuldades e incompreensões…
Há cipoal e sarçal à frente de quem avança, a multiplica espículos e empeços como se tudo estivesse convertido em provações rudes e aguçadas desesperações.
São sombras e ao mesmo tempo oportunidades que luzem.
*
Busca, porém, a prece e banha-te de luz…
O seu refrigério, aparentemente não te resolverá as situações, e, de certo, não se modificarão a golpes de mágica as paisagens de sombra e conflito…
Apesar disso, com sutileza, renasce a esperança, ressurge a coragem, aplainam-se as arestas difíceis, e, passado algum tempo, raia dia novo de júbilo no coração animado, na mente abençoada pela santificante presença do Cristo a conduzir certezas.
Não depereças na dificuldade; eleva-te na oração e enriquece tuas sombras de dor com luar de paz.

(Divaldo P. Franco por Eros. In: Heranças de Amor)
(Texto recebido de Cristiano de Almeida)

Uma noite todinha feita de esperança,

todinha florida de felicidade,
todinha perfumada de amor,
pra vc e todos ao seu redor.
Abraços com carinho
Equipe CVDEE

CVDEE – Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo
www.cvdee.org.br

Entrevistas virtuais: sobre diversos temas e com diversos estudiosos da Doutrina Espírita.
http://www.cvdee.org.br/pf_pub.asp

Dúvidas respondidas: sobre diversos temas na visão Espírita
http://www.cvdee.org.br/duv_resp.asp

Artigos – Downloads

Estudos via e-mail: LE, ESE, A Genese, obras de André Luiz, O Céu e O Inferno, LM, Estudos destinados à Família e à Educação no Lar(Educar), Estudos destinados à Evangelização Espírita Infanto-Juvenil e Mocidades(Evangelize).

estudo infantil: aos domingos, 18h30, para teens de 13 até 17 anos; e aos domingos, 17h30, com linguagem para a faixa etária entre 07 e 12 anos. A sala é Espiritismo Net Infanto Juvenil. Aguardamos sua presença junto com as crianças e adolescentes. Nossa programação você encontra em:

Espiritismo para jovens:
programa Paltalk (para fazer download: http://www.paltalk.com)
Dia: Sexta-feira
Horário: 21 horas
categoria Central & South America – Brazil
Prece Fraterna – Tire suas dúvidas
http://www.cvdee.org.br
E
BLOG JOVEM:
A Equipe Net Jovem convida você a participar do espaço jovem, criado especialmente para que a juventude se manifeste! Nosso endereço é: http://espnetjovem.blogspot.com/ . Aguardamos sua visita e participação! ;-)

__________ Informação do ESET NOD32 Antivirus, versão da vacina 5998 (20110329) __________

A mensagem foi verificada pelo ESET NOD32 Antivirus.

http://www.eset.com

Web Espírita Abril

…. Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós.
É ter maturidade para falar “eu errei”.
É ter ousadia para dizer “me perdoe”.
É ter sensibilidade para expressar “eu preciso de você”.
É ter capacidade de dizer “eu te amo”.
É ter humildade da receptividade.
Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz…
E, quando você errar o caminho, recomece.
Pois assim você descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita.
Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência.
Usar as falhas para lapidar o prazer.
Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
Jamais desista de si mesmo.
Jamais desista das pessoas que você ama.
Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um obstáculo imperdível, ainda que se apresentem
dezenas de fatores a demonstrarem o contrário.

Fernando Pessoa – Palco da Vida

Repasse aos seus contatos, vamos disseminar o conhecimento.
Até a web de maio.
Paz e Luz a todos e que sigamos nos encorajando!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 9.434 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: