gallery_2_553_12894-640x400

Nota de destaque

Caros Leitores, Esse é um blog que defende a paz , prezando pela harmonia e o bem maior. Dessa forma, não serão aceitos assuntos polêmicos ou comentários desairosos, assim como debates acalorados sobre temas considerados tensos, mesmo partidos de quem supostamente siga a Doutrina Espírita. Também não serão aceitos comentários de seguidores de outros credos religiosos que visam denegrir o Espiritismo. Porque o espiritismo não é cisão, não é bruxaria, não é um códice de polêmicas, não é fonte de desarmonia.

O Espiritismo é auto-conhecimento, é a lei de Jesus, é caridade e amor ao próximo, é a fé na evolução e na imortalidade da alma.

“Nascer, morrer, renascer ainda, progredir sempre, tal é a Lei.” Allan Kardec

Um abraço fraternal à todos os leitores desse blog, Semíramis Alencar

Duetos

CONFIE SEMPRE – MEIMEI – CHICO XAVIER (narrado por Chico Xavier e Renato Prieto)

CONFIE SEMPRE

Meimei – Chico Xavier (Narração Chico Xavier / Renato Prieto)

Não percas a tua fé entre as sombras do mundo.

Ainda que os teus pés estejam sangrando, segue para a frente, erguendo-a por luz celeste, acima de ti mesmo.
Crê e trabalha.
Esforça-te no bem e espera com paciência.
Tudo passa e tudo se renova na terra, mas o que vem do céu permanecerá.
De todos os infelizes os mais desditosos são os que perderam a confiança em Deus e em si mesmo, porque o maior infortúnio é sofrer a privação da fé e prosseguir vivendo.
Eleva, pois, o teu olhar e caminha.
Luta e serve.
Aprende e adianta-te.
Brilha a alvorada além da noite.
Hoje, é possível que a tempestade te amarfanhe o coração
e te atormente o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou ameaçando-te com a morte.
Não te esqueças, porém, de que amanhã será outro dia.

futura-mamae.jpg

causa e efeito

Causa e Efeito – estreia em 03/07

Um filme de André Marouço, com Matheus Prestes, Luiz Serra e Rosi Campos.

Paulo é um ex-policial que perdeu a esposa e o filho em um acidente de carro causado por um motorista alcoolizado. Agora, Paulo é um matador de aluguel em busca de justiça. Porém, quando recebe a proposta para matar uma garota de programa, importantes mudanças acontecem em sua vida.

Causa e Efeito chega aos cinemas em 3 de julho!

10355375_723162314410436_5951039815308876400_n.jpg

A SALVAÇÃO INESPERADA – Meimei /Chico Xavier

A SALVAÇÃO INESPERADA

Pelo Espírito Meimei. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Livro: Idéias e Ilustrações. Lição nº 06. Página 31.

Num país europeu, certa tarde, muito chuvosa, um maquinista, cheio de fé em Deus, começando a acionar a locomotiva com o trem repleto de passageiros para a longa viagem, fixou o céu escuro e repetiu, com muito sentimento, a oração dominical.

O comboio percorreu léguas e léguas, dentro das trevas densas, quando, alta noite, ele viu, à luz do farol aceso, alguns sinais que lhe pareceram feitos pela sombra de dois braços angustiados a lhe pedirem atenção e socorro.

Emocionado, fez o trem parar, de repente, e, seguido de muitos viajantes, correu pelos trilhos de ferro, procurando verificar se estavam ameaçados de algum perigo.

Depois de alguns passos, foram surpreendidos por gigantesca inundação que, invadindo a terra com violência, destruíra a ponte que o comboio deveria atravessar.

O trem fora salvo, milagrosamente.

Tomados de infinita alegria, o maquinista e os viajores procuraram a pessoa que lhes fornecera o aviso salvador, mas ninguém aparecia.

Intrigados, continuaram na busca, quando encontraram no chão um grande morcego agonizante. O enorme voador batera as asas, à frente do farol, em forma de dois braços agitados e caíra sob as engrenagens.

O maquinista retirou-o com cuidado e carinho, mostrou-o aos passageiros assombrados e contou como orara, ardentemente, invocando a proteção de Deus, antes de partir.

E, ali mesmo, ajoelhou-se, ante o morcego que acabava de morrer, exclamando em alta voz:

- Pai Nosso, que estás no Céu, santificado seja o teu nome, venha a nós o teu Reino, seja feita a tua vontade, assim na Terra como no Céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje, perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores, não nos deixes cair em tentação e livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e glória para sempre. Assim seja…

Quando acabou de orar, grande quietude reinava na paisagem.

Todos os passageiros, crentes e descrentes, estavam também ajoelhados, repetindo a prece com amoroso respeito.

Alguns choravam de emoção e reconhecimento, agradecendo ao Pai Celestial, que lhes salvara a vida, por intermédio de um animal que infunde tanto pavor às criaturas humanas. E até a chuva parara de cair, como se o céu silencioso estivesse igualmente acompanhando a sublime oração.

Página do Irmão mais velho – Emmanuel /Chico Xavier

PÁGINA DO IRMÃO MAIS VELHO
Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Livro: Trilha De Luz. Lição nº 12. Página 57.

Auxilie ao teu filho, enquanto é tempo.
A existência na Terra é a Vinha de Jesus, em que nascemos e renascemos.
Quantos olvidam seus filhinhos, a pretexto de auxílio ao próximo, e acabam por fardos pesados a toda gente!
Quantos se dizem portadores da caridade para o mundo e relegam o lar ao desespero e ao abandono?!…
Não convertas o companheirismo inexperiente em ornamento inútil, na galeria da vaidade, nem lhes armes um cárcere no egoísmo, arrebatando-o à realidade, dentro da qual deve marchar em companhia de todos.
Dá-lhe, sempre que possível, a bênção dos recursos acadêmicos; contudo, antes disso, abre-lhe os tesouros da alma, para que não se iluda com as fantasias da inteligência quando procura agir sem Deus.
Ensina-lhe a lição do Trabalho, preparando-o simultaneamente na arte de ser útil, a fim de que não se transforme em alimária inconsciente.
Os Pais são os ourives da beleza interior. O buril do exemplo e a lâmpada sublime da bondade são os divinos instrumentos de tua obra.
Não imponhas à formação juvenil os ídolos do dinheiro e da força. A bolsa farta de moedas, na alma vazia de educação, é roteiro seguro para a morte dos valores espirituais. O poder, sem amor, gera fantoches que a verdade destrói no momento preciso.
Garante a infância e a juventude para a vida honrada e pacífica.
Que seria do celeiro se o lavrador não preservasse a semente?
Quem despreza o grelo frágil é indigno do fruto.
Faze de teu filho o melhor amigo se desejas um continuador para os teus ideais.
Que será de ti se depois de tua passagem pela carne não houver um cântico singelo de agradecimento endereçado ao teu Espírito, por parte daqueles que deves amar?
Que recolherá na seara da vida, se não plantares o carinho e o respeito, a harmonia e a solidariedade, nem mesmo no pequenino canteiro doméstico?
Não reproves a esmo. A tua segurança de hoje lança raízes na tolerância de teu pai e na doçura das mãos enrugadas e ternas de tua mãe.
Esquece a cartilha escura da violência. Que seria de ti sem a paciência de algum velho amigo ou de algum mestre esquecido que te ensinaram a caminhar?
O Destino é um campo restituindo invariavelmente o que recebe.
Ama teu Filho e faze dele o teu confidente e companheiro.
E, quanto puderes, com o teu entendimento e com o teu coração, auxilia-o cada dia, para que te não falte a visão consoladora da noite estrelada na hora do teu repouso e para que te glorifiques, em plena luz, no instante bendito do sublime despertar.

QUANDO EM SÚPLICA – Emmanuel / Chico Xavier

QUANDO EM SÚPLICA
             Quando em súplica, rogando o socorro divino, não te esqueças dos recursos que o Senhor amontoou, ao teu lado, para te não falte socorro nas menores circunstâncias da vida…
Recorda:
— O corpo sadio e proveitoso que o mundo te empresta;
— O lar acolhedor em que te refugias;
— A devoção e o carinho dos que te cercam;
— O trabalho que te abrilhanta o roteiro;
— Os elementos de que dispões em teu próprio benefício;
—  Os dons da saúde e da inteligência, do serviço e do amor que te enriquecem a alma;
—  A visão clara;
—  O ouvido percuciente;
—  As mãos hábeis e o tesouro das afeições…

Recorda que a enxada não é concedida ao lavrador para a exaltação da ferrugem e o pão não te farta o celeiro para a exaltação do mofo!
Usa os instrumentos que constituem a tua bênção.
Honra os minutos para que o dia te honre.
Não menosprezes a oportunidade que te coroa a estrada como o Sol no caminho.
Trabalha, aprende, ama, crê, espera e auxilia!…
E, então, pedindo, receberás, porque atendendo aos interesses do Senhor, junto do próximo, o Senhor atenderá aos teus próprios interesses junto de ti.

Se aceitaste o Evangelho por abençoado roteiro de aperfeiçoamento, não te esqueças da representação que nos cabe em toda parte.

(Francisco Cândido Xavier por Emmanuel. In: Alvorada do Reino)

Cd Duetos, com belíssimas mensagens narradas por Chico Xavier, Divaldo Franco e Renato Prieto

Featured Image -- 16459

CD DUETOS, com orações belíssimas narradas pelo ator Renato Prieto em parceria com Chico Xavier e Divaldo Franco. Reflexões para todos os momentos do seu dia!

Produzido por Semíramis Alencar

À venda através do e-mail  semiramisalencar@yahoo.com.br

R$20,00, sem frete para Rio de Janeiro e São Paulo

 

Escutem essa belíssima prece: 

Renato CD

DECÁLOGO PARA MÉDIUNS – ANDRÉ LUIZ / CHICO XAVIER

DECÁLOGO PARA MÉDIUNS
Pelo Espírito André Luiz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Livro: O Espírito da Verdade. Lição nº 05. Pagina 22.

1 – Rende culto ao dever.
Não há fé construtiva onde falta respeito ao cumprimento das próprias obrigações.
2 – Trabalha espontaneamente.
A mediunidade é um arado divino que o óxido da preguiça enferruja e destrói.
3 – Não te creias maior ou menor.
Como as árvores frutíferas, espalhadas no solo, cada talento mediúnico tem a sua utilidade e a sua expressão.
4 – Não esperes recompensas no mundo.
As dádivas do Senhor, como sejam o fulgor das estrelas e a carícia da fonte, o lume da prece e a bênção da coragem, não tem preço na Terra.
5 – Não centralizes a ação.
Todos os companheiros são chamados a cooperar, no conjunto das boas obras, a fim de que se elejam à posição de escolhidos para tarefas mais altas.
6 – Não te encarceres na dúvida.
Todo bem, muito antes de externar-se por intermédio desse ou daquele intérprete da verdade, procede, originariamente de Deus.
7 – Estuda sempre.
A luz do conhecimento armar-te-á o espírito contra as armadilhas da ignorância.
8 – Não te irrites.
Cultiva a caridade e a brandura, a compreensão e a tolerância, porque os mensageiros do amor encontram dificuldade enorme para se exprimirem com segurança através de um coração conservado em vinagre.
9 – Desculpa incessantemente.
O ácido da crítica não te piora a realidade, a praga do elogio não te altera o modo justo de ser, e, ainda mesmo que te categorizem à conta de mistificador ou embusteiro, esquece a ofensa com que te espanquem o rosto, e, guardando o tesouro da consciência limpa, segue adiante, na certeza de que cada criatura percebe a vida do ponto de vista em que se coloca.
10 – Não temas perseguidores.
Lembra-te da humildade do Cristo e recorda que, ainda Ele, Anjo em forma de homem, estava cercado de adversários gratuitos e de verdugos cruéis, quando escreveu na cruz, com suor e lágrimas, o divino poema da eterna ressurreição.

Palavra Escrita – Emmanuel /Chico Xavier

53 – PALAVRA ESCRITA

“Examinai tudo. Retende o bem”. – Paulo.
(I TESSALONICENSES, 5:21.)

Disse o apóstolo Paulo: – “examinai tudo”, mas não se esqueceu de acrescentar: – retende o bem”.
Muita gente se prevalece do texto para afirmar que os aprendizes do Evangelho devem ler indiscriminadamente, ainda mesmo quando se trate de ingerir os corrosivos da opinião em letras de jornal ou as fezes do pensamento em forma de livro.
Sim, é natural que a mente amadurecida e equilibrada possa ler tudo e tudo observar, mas não é aconselhável que as crianças e os doentes, os fracos e alienados potenciais da razão tudo experimentem e tudo vejam.
Sabiamente, a Lei Divina dispõe sobre o assunto, sugerindo o levantamento de zonas indispensáveis à justa segregação.
Meninos encontram lares e escolas a fim de que se habilitem para as lutas da vida.
Doentes são encaminhados ao hospital para que se refaçam. Loucos se candidatam aos serviços do manicômio em busca de reequilíbrio. Criaturas fracas que o crime assinalou com estigmas dolorosos recolhem-se à penitenciária em cuja aspereza se reajustam.
Assim, pois, se te reconheces em plenitude de robustez espiritual, analisa tudo, sabendo que é preciso reter o bem capaz de ajudar na edificação ou na cura dos outros.
Se possuis o necessário discernimento e se dispões do tempo preciso, lê tudo, usando o crivo da compreensão e da utilidade, mas não olvides escolher o que seja bom e apenas prestigiar o que seja bom, em favor daqueles que ainda não pensam com segurança quanto já podes pensar.

(Francisco Cândido Xavier por Emmanuel. In: Palavras de Vida Eterna)

OS TRÊS CRIVOS – Irmão X /Chico Xavier

OS TRÊS CRIVOS
Pelo Espírito Irmão X (Humberto de Campos). Psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Livro: Aulas da Vida. Lição nº 28. Página 90.

Diz você meu amigo, no trecho final de sua carta:
“Que fazer Irmão X, para desmanchar a trama de intrigas que nos sufoca a instituição? Dia a dia, cresce o diz que diz. E, enquanto isso ocorre, a treva da obsessão, em nossas bandas, parece tiririca em terra largada. É perturbação trazendo perturbação. Que medida nos aconselha, que idéia renovadora você nos dá?”
Conselhos, meu caro, não os tenho.
Os princípios salvadores que abraçamos, no Evangelho de Jesus, falam por si e, de tal modo, que seria temeridade articular diretrizes no intento de ultrapassá-los.
Se posso no entanto, formular referência ligeira, peço permissão para reportar-me a antiga lição que vários escritores atribuem a Sócrates.
Certa feita, um homem esbaforido achegou-se ao grande filósofo Sócrates e sussurrou-lhe aos ouvidos:
- Escuta, Sócrates… Na condição de teu amigo, tenho alguma coisa muito grave para dizer-te, em particular…
- Espera!… – ajuntou o sábio prudente.
- Já passaste o que me vais dizer pelos três crivos?
- Três crivos?! – perguntou o visitante, espantado.
- Sim, meu caro amigo, três crivos.
Observemos se a tua confidência passou por eles.
O primeiro é o crivo da verdade. Guardas absoluta certeza, quanto àquilo que me pretendes comunicar?
- Bem, ponderou o interlocutor, – assegurar, mesmo, não posso… Mas ouvi dizer e… então…
- Exato.
Decerto peneiraste o assunto pelo segundo crivo, o crivo da bondade. Ainda que não seja real o que julgas saber, será pelo menos bom o que me queres contar?
Hesitando, o homem replicou:
- Isso não!… Muito pelo contrário…
- Ah! – tornou o sábio – então recorramos ao terceiro crivo: o da utilidade, e notemos o proveito do que tanto te aflige. – Útil?!… – aduziu o visitante ainda mais agitado – Útil não é…
- Bem – rematou o filósofo num sorriso, – se o que me tens a confiar não é verdadeiro, nem é bom e nem é útil, esqueçamos o problema e não te preocupes com ele, já que nada valem casos sem qualquer edificação para nós…
Aí está, meu amigo, a lição de Sócrates, em questões de maledicência… Se pudermos aplicá-la, creio que teremos ganho tempo e recursos preciosos para rearticular o serviço, refazer a paz, realizar o melhor e seguir para a frente.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 9.417 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: